Filme Brasileiro "Menina Veneno" volta premiado da Europa.

O curta MENINA VENENO foi selecionado entre 2500 filmes internacionais para exibição na Mostra de cinema CLIT em Setúbal PORTUGAL que aconteceu entre os dias 08 a 17 de Outubro e volta premiado.


"MENINA VENENO" é um curta-metragem dirigido por Gleison Mota e estrelado por atores Sul Mineiros. O filme acaba de ser lançado no festival nacional Festicine Jaraguá do Sul e sai premiado. Também foi selecionado para o Festival CLIT, na cidade de Setúbal, próximo a Lisboa em Portugal, onde traz o prêmio de Honra ao Mérito escolhido pela Organização e Convidados do CLIT como ALMA DO FESTIVAL.




No elenco, Marina Azze, atriz que já coleciona 93 prêmios em Festivais Nacionais e Internacionais de Cinema e Teatro, brilha em Portugal ao lado do ator Pablo Rosa que traz na carreira 6 prêmios como ator em Festivais Internacionais e Nacionais de Teatro de Cinema.


O que surpreendeu na história deles foi como chegaram a Portugal.

"Quando recebemos o convite que havíamos sidos selecionados para participar do CLIT entre 2500 filmes do mundo todo, o coração saiu pela boca. O cinema Sul Mineiro chegaria mais uma vez tão longe. E dessa vez, não era a história ou nossas personagens só que chegaria do outro lado do Atlântico, eles convidaram os atores e o diretor para estar presencialmente lá. Mas como conseguiríamos chegar tão longe se nosso espaço de arte está fechado e não estamos capitalizando nada por conta da pandemia?! Seria um sonho impossível demais. Ainda mais com o Euro a 7 reais. Mas, nosso sonho é maior do que todas as dificuldades. Resolvemos fazer rifas para conseguir ao menos as passagens. De prontidão, a Outlet 35, a loja Salve Salve nos doou R$ 200 reais em vale compras para o sorteio das rifas, a Mariihha doou um KIT fantástico da Lowell e a artista Daniela Foresti bijuterias da coleção Cinemá. Saimos como loucos vendendo rifas nas ruas, em plena pandemia. Vender para nossos associados era também um desafio, porque estão todos enfrentando muita dificuldade financeira por causa do Covid. Mas de repente eles não tinham dinheiro pra comprar, mas fizeram doces e venderam para doar para as rifas e a corrente de bem foi se alastrando e novas empresas apareceram para nos ajudar como a Paristur, Marina Mello e a Todeschini. Mas ainda nos faltava muito. Procuramos apoio na Fundação Cultural através dos Vereadores Rodrigo Naves e Eduardo Otonni, mas eles não conseguiram apoio algum da prefeitura de Varginha para nos ajudar. Aliás, nem retorno eu consegui da prefeitura. Um caos. Mas eu não ia desistir. Até que nos apareceu o Stefano Gazola que de prontidão resolveu nos ajudar com uma passagem através do Grupo Unis, e o deputado Professor Cleiton nos enviou uma verba pra nos ajudar. Ainda faltava muito... Mas o ator Pablo Rosa conseguiu o apoio da Bonfim, da Vidrosul, do Rodrigo Baldoni e as passagens foram compradas. Foi lindo ver toda a cidade se mobilizando tanto para chegarmos ao CLIT. Chegamos lá e haviam realizadores do mundo todo, 90 filmes de 40 países diferentes, e nós com nosso diretor Gleison Mota, podendo viver aquela maravilha cinematográfica ao vivo. Foi Maravilhoso! Dissolvemos o impossível, não foi só nosso talento que nos levou a Portugal, foram nossos amigos que a tanto torcem pela arte sul mineira." Diz Marina Azze, atriz e produtora do filme.


"Que experiência fantástica! Que gratidão tenho, chegar tão longe com um filme que de ter participado por si só já foi uma honra! O Clit foi um divisor de águas na minha carreira!" Relata Pablo Rosa ator da obra.
"Nosso maior prêmio foi sem dúvidas poder participar presencialmente desse festival ímpar. Confesso que na premiação, estávamos tão emocionados de ter que nos despedir de todos para pegar o vôo antes da premiação terminar que nem percebemos que havíamos ganhado o Honra ao Mérito: Alma do Festival Clit. Só aqui no Brasil vimos que havíamos conquistado essa maravilhosa honraria. Nós dedicamos esse prêmio a todos vocês que acreditaram nesse sonho fantástico de mostrar nossa arte do outro lado do Atlântico. Eu me apaixonei por Setúbal, por Lisboa, por Portugal. São lugares impressionantes e pessoas fantásticas que nos receberam. O sonho de apresentar a nossa arte para eles, virou agora o objetivo de voltarmos para lá para filmarmos com aquele povo acolhedor em terras tão cinematográficas. Podem anotar aí, ainda vamos filmar por la. Foi muito bacana essa coisa do CLIT apresentar os filmes por toda cidade, em locações diferentes. Podemos rodar a cidade e descobrir lugares encantadores e filmes fantásticos do mundo todo. Nosso filme foi exibido no Convento de Jesus, que é de uma arquitetura deslumbrante. Uma honra inesquecível para nós Brasileiros. Já saudosos, planejando estar na próxima edição desse festival que mudou a nossa vida!" . diz Marina Azze ainda em êxtase com o Festival.